Um Jogo Diferente

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

A epidemia de coronavírus, tem preocupado pessoas comuns e autoridades Médicas e Científicas do Mundo Inteiro!
Para tentar combater e evitar uma propagação maior e um potencial aumento no número de casos, algumas organizações esportivas, principalmente de países da Europa, como Itália e França, estão optando por saídas que minimizem a possibilidade da transmissão do vírus. Partidas de futebol, por exemplo, estão sendo sugeridas que aconteçam com portões fechados para os torcedores.

Nesta terça-feira, o Santos recebe á partir das 19h15, na Vila Belmiro, a equipe do Delfín do Equador, em partida válida pela segunda rodada da Taça Libertadores da América!
Para esse confronto, o primeiro que será disputado em casa, o Alvinegro Praiano não poderá contar com o calor e o apoio de sua apaixonada torcida!

Longe porém dos motivos que estão levando os Europeus a evitarem as aglomerações dos estádios, o vazio e o quase silêncio que tomarão conta da Vila mais famosa do mundo, e que serão quebrados somente por apitos da Arbitragem, ou instruções dos treinadores vindas da área técnica, não tem nada a ver com o “Coronavírus”

Santos e  Delfín do Equador, serão obrigados a jogar sem torcida e com portões fechados, graças a uma punição imposta pela Conmebol.
Essa punição, se da por conta de uma confusão realizada por torcedores do Santos, que ao final da partida realizada no Pacaembu em 2018, protestaram contra a Diretoria do Clube, que por um erro absurdo de um funcionário, referente a documentação e situação de jogo do atleta Pato Sanches, o Santos acabou eliminado da competição para o Independiente-ARG.

Entenda como funciona e o porquê desse tipo de punição.

Os portões são fechados somente para os torcedores.
O objetivo da punição é educativo e visa dar uma lição nas torcidas que podem ser punidas em alguns casos como: arremesso de objetos no campo, brigas e confrontos com o policiamento local, ou invasão das quatro linhas. Até o final do Brasileirão de 2004, quando acontecia um desses casos, o clube da torcida infratora era punido com a perda do mando de campo, e só podia jogar a uma distância mínima de 150 quilômetros de sua sede, porém a torcida estava liberada para entrar. De 2005 para cá, a regra mudou: agora, o clube pode até jogar em um estádio de sua cidade, mas a torcida fica de fora.

Quem pode Entrar?
O total de presentes autorizados a entrar no estádio, tirando as próprias delegações, pode passar de 100 pessoas!
Parece muito, mas esse é só o número de profissionais que trabalham em um jogo normal.

Quem trabalha na partida está liberado

DIRETORIA
A regra permite no máximo oito dirigentes de cada clube, que assistem ao jogo das tribunas
EQUIPE DE APOIO
Onze pessoas ficam junto ao campo: um juiz reserva, um dirigente da CBF, seis gandulas e cinco ajudantes médicos
IMPRENSA
Podem entrar jornalistas que tenham a carteira da Associação de Cronistas Esportivos. São cerca de 20 por jogo
BANCO DE RESERVAS
Espaço para 11 pessoas de cada time: sete reservas e quatro da comissão técnica
SEGURANÇA
Em jogos de portões fechados o policiamento é normal. Pelo menos 50 soldados são convocados.

É bom que a torcida do Santos, que mesmo sem poder adentrar ao estádio, está pretendendo lotar os bares no entorno da Vila, e assistir na rua mesmo, a partida através de um telão, fique esperta!
Segundo o Blog Sergio Bertoldi apurou, haverá uma barreira de contenção, isolando todo o entorno da Vila Belmiro!
O máximo que uma pessoa poderá se aproximar do Estádio Urbano Caldeira, será 200 metros! Claro que casos especiais, como moradores por exemplo, terão uma permissão especial.

Outra determinação que apuramos, e essa independe de portões fechados ou abertos, se refere a bonita festa que a torcida do Santos sempre realizou, fazendo aquele corredor humano, cercando o Ônibus Baleia do Santos, em sua chegada à Vila Belmiro!
As regras de segurança adotadas pela Conmebol para as partidas em casa pela Libertadores da América, proíbem tal prática!
Á partir de agora, na chegada dos jogadores, o entorno do estádio ficara isolado e sem a presença de torcedores!
Estão cada vez mais, acabando com a alegria no Futebol.

O Alvinegro da Vila nos braços do Povo
Corredor de torcedores cercam o Ônibus do Santos em sua chegada a Vila
A aglomeração de torcedores na chegada dos jogadores em dias de jogos

Falando do Santos dentro de campo, parece que aos poucos as coisas vão se ajeitando, e os jogadores parecem ter enfim, encontrado uma maneira de conciliar o que pensam sobre a maneira que estavam acostumados a jogar, com algumas propostas novas, trazidas pelo técnico Jesualdo Ferreira!
O que se desenha, parece ser um equilíbrio entre as partes, o que aparentemente tem causado o crescimento de produção da equipe!

Para a partida de logo mais, o técnico Jesualdo não deverá promover mudanças significativas! A tendência é que o treinador mande a campo praticamente a mesma equipe que no Sábado venceu em casa o Mirassol.
A única mudança em relação à equipe que atuou pelo Paulistão, pode ser a saída do estreante Madson e a entrada do Pará na lateral-direita.
 Dessa forma, se não houver nenhum problema de última hora, o 11 Santista deve ir a campo com: 
Everson, Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Yuri Alberto Soteldo e Eduardo Sasha.

O lateral direito Pará, fala sobre a evolução do time, e sobre o fato de jogar sem torcida!

(Crédito: Imagem: Eduardo Viana/Lance)
(Crédito: Imagem:  Alex Silva)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.