Uma camisa que impõe respeito

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

A fase pode não ser boa, jogadores e Comissão Técnica ainda não conseguiram falar a mesma língua, problemas de salários ou direitos de imagem atrasados, jogadores se estranhando porque um recebeu o que lhe deviam e os outros não!
Enfim: O Santos pode estar mais bagunçado do que quarto de solteiro, uma verdadeira “Casa da Mãe Joana”, mas a verdade é que quando um time de futebol entra em campo todo de branco, não existe estádio no Mundo, que não trema!
Como um fantasma que durante décadas assombrou o Mundo da bola, ainda hoje os adversários temem e respeitam essa camisa, que é a mais famosa do Mundo!

Os Argentinos do Defensa y Justicia, até andaram querendo colocar as manguinhas de fora, saíram na frente no placar, mas no final da partida tomaram a virada, sucumbindo ao peso da camisa do Santos!
Afinal de contas, não é para qualquer um, principalmente um estreante no torneio, que pode achar que vai superar assim, um time que tem nada mais, nada menos, do que agora, 131 jogos com 72 vitórias na competição!
Com gols de Jobson e Kaio Jorge, o Santos venceu o time Argentino pelo placar de 2 x 1 de virada!

Jobson teimosia que lhe rendeu seu primeiro gol no profissional do Santos
Kaio Jorge agradece aos céus por sua estréia com gol em uma Libertadorers

Vamos comemorar sim essa vitória na estreia da Libertadores 2020, afinal como diz o ditado: “De virada é mais gostoso”, mas não deixemos que o resultado, venha mascarar as deficiências e a verdade dos fatos!
Eu acho que essa mudança que estamos vendo no Santos, do clássico contra o Palmeiras pra cá, tem muito a ver com o que eu já havia escrito mais de uma vez aqui mesmo no Blog.
Escrevi que se os jogadores dentro de campo, estivessem sentindo que o esquema tático implementado pelo treinador Jesualdo Ferreira, não estava dando certo, que eles mesmos se reunissem no gramado, conversassem, e se arrumassem da maneira com a qual que eles estavam acostumados a jogar, e que até então vinha dando certo!

 Portanto meus amigos, eu tenho certeza que essa mudança, essa melhora repentina do futebol apresentado pelo time, é de inteira responsabilidade da própria atitude tomada pelos jogadores, e não tem nada a ver com o trabalho do treinador!
Não estou desmerecendo o trabalho do treinador! Porém não acredito que o mesmo time apático, sonolento, sem alma, sem garra, e sem vontade, que empatou com a Ferroviária e perdeu do Ituano, e que vem se arrastando em campo desde a primeira rodada do Paulistão, de repente tivesse essa evolução mostrada no empate com o Palmeiras, e na vitória de ontem fora de casa, na Argentina, vencendo de virada o Defensa y Justicia, graças a algum trabalho do treinador! Até porque até onde sei, o treinador Santista não tem nenhuma varinha mágica!

A única coisa que eu posso atribuir ao trabalho da comissão técnica, e nisso tenho que confessar que houve uma melhora considerável, foi no aspecto do Preparo Físico do time!
Antes os jogadores se arrastando em campo, e agora estão correndo até o final do jogo! Taticamente, a troca do Yuri Alberto pelo Kaio Jorge, foi trocar 6 por meia Dúzia! Deu Certo? Deu! Mas trocar um atacante por outro, não é mudança tática!
Nem a entrada do volante Jobson, podemos dizer que foi para deixar o Santos um pouco mais ofensivo em busca do gol de empate, pois apesar de ser um volante com características mais ofensivas, e que gosta de ser esse elemento surpresa que sabe chegar vindo de trás como aconteceu no gol de empate do Santos, pode ser creditada ao treinador Santista!

Após o término da partida, o próprio jogador confessou que teimoso, desobedeceu por conta própria a determinação do treinador português, para ficar entre os zagueiros e fazer somente a saída de bola. No entanto, quando viu um espaço enorme se abrir em sua frente, o camisa 8 não titubeou e se mandou para o ataque! Sorte do Santos que parece que vem melhorando seu futebol, depois que os jogadores resolveram desobedecer os comandos desse treinador Jurássico e ultrapassado!

Não sei ao certo, até quando essa fórmula dará certo!
O que sei é que nesse momento, quem manda no time e na maneira como o time voltou a se comportar, são os próprios jogadores!
Se minhas suspeitas tem fundamento, a verdade logo virá á tona.

FICHA TÉCNICA
DEFENSA Y JUSTICIA 1 X 2 SANTOS
Estádio: Norberto Tomaghello – Buenos Aires (ARG)
Arbitragem: Gustavo Tejera (URU)
Público e renda: Não divulgado
Cartões amarelos: Botta (DYJ); Luan Peres, Lucas Veríssimo, Evandro, Sánchez (SFC).
GOLS: Juan Rodríguez 45’1ºT (1-0), Jobson, 28’2ºT (1-1), Kaio Jorge 39’2ºT (1-2)
DEFENSA Y JUSTICIA: Unsaín; Breitenbruch, Rodríguez, Martínez e Benítez; Mainero 9Fernando Márquez, 32’/2ºT), Acevedo, Pizzini, Neri Cardozo (Ojeda, 23’/2ºT) e Botta (Coacci, 32’/2ºT); Lucero.
Técnico: Hernán Crespo.

SANTOS: Éverson; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan, 39’/2ºT) e Luan Peres; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Evandro (Jobson, 11’/2ºT); Soteldo, Eduardo Sasha e Yuri Alberto (Kaio Jorge, 23’/2ºT). Técnico: Jesualdo Ferreira.

Coletiva com o técnico Jesualdo Ferreira
Acompanhe como foi a vitória do Santos na estréia da Libertadores 2020
Classificação,atualizada

O Santos agora desliga momentaneamente a chavinha da Taça Libertadores, e vira novamente a chavinha do Paulistão 2020, pois recebe no próximo sábado, às 19h30, na Vila Belmiro,  o Mirassol. Pela Libertadores o Santos volta a campo na próxima semana quando na terça-feira, recebe o Delfín, do Equador, às 19h15, também na Vila Belmiro.

(Crédito: Imagem: Ivan Storti/Divulgação/Santos FC)
(Crédito: Imagem: Tabela de Classificação: Alexandre Ceolin)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.