Clássico San-São termina com empate justo

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos recebeu o São Paulo na tarde deste sábado na Vila Belmiro, com direito à presença ilustre do presidente da república, Jair Bolsonaro, que passando os feriados da Proclamação da República na cidade vizinha do Guarujá, esteve na Vila Belmiro acompanhado de sua comitiva, para acompanhar mais um San-São da história entre Santos e São Paulo!

Com a bola rolando, Santos e São Paulo não conseguiram ir além de um empate por 1 a 1, o que de certa forma, acabou fazendo justiça perante a igualdade de oportunidades e domínios, cuja única diferença foi a etapa da partida!
Santos e São Paulo fizeram uma partida equilibrada, onde cada treinador conseguiu que sua equipe dominasse seu oponente em um tempo da partida!

Vindo embalado por quatro vitórias seguidas, sendo as duas últimas conquistadas fora de casa, o Santos fez o que se espera de quem joga em casa, e logo partiu para cima do São Paulo!
Pressionando o adversário, o Santos não precisou de muito tempo para tirar o primeiro zero do placar, e com apenas sete minutos de jogo, abriu o placar após uma saída errada do volante Jucilei, obrigando o Zagueiro Arboleda, cometer um pênalti até certo ponto infantil , derrubando o jogador Evandro na entrada da área. Pato Sánchez cobrou a penalidade e converteu o gol Santista!

A Primeira etapa foi amplamente dominada pela equipe Santista, enquanto os pupilos do técnico Fernando Diniz, sofriam com deficiências que já vem atormentando o torcedor do tricolor há um bom tempo, problemas como inoperância do ataque, lentidão na transição defesa-ataque e muitos erros de passes!
O Problema é que embora na primeira etapa o Alvinegro Praiano tivesse o controle das ações na partida que aparentemente estava em suas mãos, ainda que pareça apenas um velho chavão, “Clássico é Clássico”, e qualquer descuido de ambas as partes, poderia decretar tanto a chegada do São Paulo a igualdade no placar, como também o Santos aumentar sua vantagem!

Se essa possibilidade não se dava tanto por um suposto crescimento do tricolor paulista na partida, abria essa brecha muito mais pelas seguidas falhas de finalização do ataque Santista, que principalmente no final da primeira etapa, criava inúmeras oportunidades para ampliar sua vantagem no placar, mas desperdiçava com finalizações bisonhas!
Aliás, salta aos olhos a deficiência ou inabilidade da última bola do Santos!
É impressionante a falta de pontaria dos atacantes que chegam na cara do gol e desperdiçam chances claras de gol por erros de finalização!
A impressão que se tem, é a de que os atacantes do Santos não treinam finalizações!

Não sei qual foi a sensação dos meus leitores, mas a minha, era nítida de que há qualquer momento o velho ditado “Quem não faz toma”, com certeza castigaria o Santos!
E como outro velho ditado do futebol também afirma que “A Bola Pune”, o Peixe acabou sofrendo o empate na etapa complementar, um pouco em decorrência de algumas alterações promovidas pelo treinador Fernando Diniz, o que resultou em uma melhora do São Paulo, mas também em decorrência de um passe errado do lateral direito Victor Ferraz, o que ocasionou um contra-ataque mortal do São Paulo, que chegou à igualdade através de sua mais cara contratação do ano, sua estrela, Daniel Alves.

Após o empate, a equipe do São Paulo passou a dominar o jogo criando várias oportunidades de virar o placar, porém sem êxito!
Podemos dizer que o resultado de empate por 1 x 1, acabou sendo justo para as duas equipes, pois cada uma foi superior a outra, uma na primeira etapa (Santos), e a outra na segunda etapa (São Paulo).

Por ter jogado em casa, o resultado final foi pior para o Santos que com o empate perdeu a oportunidade de assumir a vice-liderança provisória da competição, pois se vencesse a partida, ficaria em igualdade com o Palmeiras em número de pontos, mas teria uma vitória a mais, lembrando que o vice líder joga neste domingo, contra o Bahia, na Fonte Nova.

Agora com 65 pontos, dois a menos que o Palmeiras, o Santos terá que torcer por um tropeço do rival, e voltar a fazer sua lição de casa no próximo sábado, quando volta a jogar na Vila Belmiro desta vez contra o Cruzeiro, às 21h (de Brasília).
Para esse compromisso o técnico Jorge Sampaoli deve contar com o retorno dos jogadores Soteldo e Derlis González, que estiveram ausentes servindo suas respectivas Seleções na última data FIFA do ano!
Aliás, o atacante Soteldo foi sem sombra de dúvidas a grande ausência no ataque Santista, provando ser hoje o maior responsável pela articulação ofensiva da equipe!

Algumas coisas também ficaram provadas nesse clássico:
Primeira: Como mencionei, o Santos é hoje bastante dependente das jogadas ofensivas criadas pelo pequenino Soteldo
Segundo: Diego Pituca tem que voltar urgente a ser titular do meio campo.
Terceiro: Pará não pode em hipótese alguma, ser reserva do Victor Ferraz.
Quarto: Evandro não é jogador para o Santos! Um peso morto em campo que corre para um lado e outro com um balde d’água na mão, sem saber aonde é o incêndio!
Quinto: Pato Sanches só tem fôlego para atuar em alto nível, no máximo em uma das etapas!

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 X 1 SÃO PAULO
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 16 de novembro de 2019, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira de Amaral (SP)
Público: 14.062 torcedores
Renda: R$ 602.192,50
GOLS: Carlos Sánchez, aos 7 do 1ºT (Santos); Daniel Alves, aos 8 do 2ºT (São Paulo)
Cartões amarelos: Felipe Jonatan (Santos); Pablo, Vitor Bueno e Bruno Alves (São Paulo)
SANTOS: Everson; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Alison (Jean Mota), Evandro (Tailson) e Carlos Sánchez; Felipe Jonatan (Diego Pituca), Sasha e Marinho
Técnico: Jorge Sampaoli
SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Jucilei (Liziero); Daniel Alves (Gabriel Sara), Igor Gomes, Tchê Tchê e Vitor Bueno; Pablo
Técnico: Fernando Diniz

Relembre como foi o gol de pênalti convertido pelo meio campista Pato Sanches
Acompanhe a coletiva com o Técnico Jorge Sampaoli após o empate no Clássico com o São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.