Pacaembu: Ideia fixa do Presidente Santista

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Após uma novela quase interminável, a assinatura do contrato de concessão para a iniciativa privada, do estádio municipal Paulo Machado de Carvalho, (Pacaembu), finalmente foi assinada pelo Prefeito Bruno Covas, na manhã de ontem segunda-feira (16).

O Consórcio “Patrimônio SP”, formado pelas empresas “Progen, de engenharia, e Savona Fundos de Investimentos”, vencedor do processo de concessão do estádio municipal, vai administrar o complexo pelos próximos 35 anos!

O Consórcio que arrendou o complexo esportivo – composto de uma piscina olímpica, duas quadras de tênis e um ginásio poliesportivo, além do campo, já depositou 79,2 milhões de reais a título de outorga. O restante, cerca de 32 milhões de reais, deverá ser pago ao longo dos anos. Além disso, existe a promessa e o projeto de se investir no Estádio paulista, algo em torno de 300 milhões de reais. O tobogã será demolido e um prédio comercial construído no local. As obras devem começar em trinta dias e devem durar dois anos.

De acordo com o Presidente do Santos, Sr. José Carlos Peres, os responsáveis pelo consórcio, já negociam uma parceria de cessão para o clube da Baixada Santista. 

De olho no torcedor Santista da Capital, além de um aumento que uma arrecadação com melhores bilheterias em seus jogos poderia trazer, a verdade é que a diretoria do Santos Futebol Clube, jamais escondeu seu sonho antigo de jogar mais vezes no Pacaembu, embora tal sonho, esbarre na reprovação de grande parte da torcida que enxerga no Estádio Urbano Caldeira, a famosa “Vila Belmiro”, a verdadeira casa do Santos! Sem contar que essa mesma Diretoria comandada pelo atual presidente “José Carlos Peres”, já esbarrou por mais de uma vez e com mais de um Treinador, no desejo da comissão técnica e dos jogadores santistas, que preferem o estádio da Vila Belmiro, em Santos.

“Estamos fechando com a Progen, só falta discutir o modelo.

A ideia do Alvinegro Praiano, é que a bandeira seja do Santos. O Santos vai ceder a marca dele”, disse o presidente santista, na manhã desta segunda-feira. José Carlos Peres participou do evento que marcou a assinatura oficial do contrato de concessão do Pacaembu para o consórcio.

A ideia é de que o Santos jogue no Pacaembu, porém, o clube terá que pagar uma porcentagem da bilheteria ao consórcio e ao mesmo tempo, nesses jogos, que o clube santista fique com uma porcentagem do que o estádio arrecadas com bebidas e alimentos.

Pelo acordo, o Santos teria que jogar pelo menos 50% de suas partidas no Pacaembu, mas o consórcio que só assume a administração do estádio em dezembro, não tem pressa em fechar o acordo com o time da Vila Belmiro

Eduardo Barella, líder do consórcio, confirma que há interesse dos dois lados. A intenção da empresa é que o Pacaembu continue recebendo jogos de futebol. O número mínimo de partidas oficiais de futebol está previsto em 15 por ano, afirmou em julho, à revista VEJA SÃO PAULO.

 “Em compensação, faremos 300 eventos anuais nos demais espaços, como casamentos, apresentações musicais, festas infantis e lançamentos de marcas”. Para compensar à redução de jogos profissionais, a empresa promete aumentar o volume de outras modalidades, como futebol feminino e categorias inferiores, além de torneios amadores, como a Taça das Favelas.

Embora o Presidente Peres venha com essa balela do Pacaembu ter a bandeira Santista, não me parece pela declaração dada pelo senhor Eduardo Barella, líder do consórcio, ser bem esse o seu pensamento.

Em entrevista concedida à imprensa que cobriu o evento, Barella afirmou que não tem essa de “bandeira” do Santos, e que todos os outros clubes são bem vindos!

Portanto meus caros leitores: Se alguém disser que o Pacaembu é a casa do Santos na Capital, pode desmentir!

O Santos poderá sim ter até um número maior de jogos, mas o chamado “Trio de Ferro”, terá espaço para jogar no Pacaembu também!

Outro detalhe importante mencionado na entrevista, é o fato do torcedor Santista ter que começar a ir preparando o bolso, caso essa parceria venha mesmo acontecer.

Eduardo Barella afirmou que deve aumentar e o valor do ingresso também. Atualmente, a Prefeitura cobra um preço fixo pelo aluguel do estádio.

“Aquele modelo de aluguel não se sustenta para nós. Estamos fazendo investimentos, vamos aumentar o nível de serviço, o tíquete médio deve aumentar um pouco. O que estamos discutindo é uma porcentagem de bilheteria e também uma porcentagem para o Santos do complexo. Uma situação em que ambos ganhem!

Já dei a minha opinião à respeito da união Santos X Pacaembu, e sinceramente não gosto do que vejo! Acho uma verdadeira roubada que não trará benefício algum ao Santos, pelo contrário!

Por fim como bem disse o Conselheiro Raphael Vita, qualquer negócio com o Pacaembu é igual comprar uma BMW 92. É um carro até bonito, mas já está com a suspensão toda ferrada, o motor já está fraquinho fraquinho, e se quebrar meu amigo, senta e chora porque a Trolha é gigante!

Duas perguntas que deixo aos meus leitores, e as faço mesmo por pura curiosidade.

Primeira: Se o Pacaembu ficará fechado para obras pelo período de dois anos, qual o motivo do Presidente Peres, estar querendo fechar esse negócio, à toque de caixa? Por que tanta pressa?

Segunda: Por onde anda o CEO do Grupo Bolton Holding, Sr Roberto Diomede?

Será que já usou tudo que precisava da imagem do Santos, promovendo a imagem da Bolton gratuitamente?

(Crédito: Imagem Marcelo D. Sants/Framephoto/Estadão)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *