Ministério Público do Trabalho Acusa Santos Futebol Clube de promover trabalho infantil

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Se dentro de campo as coisas começam a tomar outro formato com a chegada do treinador Lisca e da nova comissão técnica, não se pode dizer o mesmo quanto aos bastidores do clube!

 Acontece que  o Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MP-SP) entrou com uma ação civil pública contra o Santos, acusando o clube de promover trabalho infantil clandestino e exploração de menores nas categorias de base da Vila Belmiro. A ação que corre sob sigilo, tem mais de mil páginas.
O MP pediu que a Justiça declare o cancelamento imediato, assim como a finalização de todas as categorias de base do Santos, destinadas a menores de 14 anos, e ainda proíba o clube de promover estas atividades.

As  investigações realizadas pelo Ministério Público teriam flagrado trabalho infantil sendo realizado por  integrantes das categorias sub-11 e sub-13, totalizando 75 crianças e adolescentes menores de 14 anos, que trabalham desde cedo para o Santos,sob contratos de trabalho sem qualquer tipo de remuneração

O MP também pediu que sejam imediatamente declaradas suspensas, todas as atividades nas categorias de base santistas para menores de 14 anos, sob pena de suspensão do certificado de entidade formadora do clube, com multa diária de R$ 100 mil para o descumprimento.
O órgão pede que o tribunal declare nulas, todas as contratações informais de atletas mirins amadores, e que seja reconhecida a relação de emprego de todos os jogadores com mais de 16 anos, também pede o reconhecimento da relação de emprego na modalidade aprendizagem aos mais jovens.
Outro pedido do MP é que o Santos seja condenado a pagar R$ 3 milhões a título de indenização por danos morais coletivos causados até o momento pelo que o clube vem fazendo em suas categorias de base

Para agravar mais ainda a situação do clube, segundo a investigação o órgão constatou terem ocorrido acidentes de trabalho com crianças que jogam na base do Santos. Em um período de apenas um mês, cerca de 143 jovens com idade inferior a 13 anos, foram atendidos nos departamentos de enfermagem do clube, algo que o MP classificou como “chocante” o que encontrou no trabalho feito pelo time da Vila Belmiro em suas categorias de base, declarando que o clube “não observa a idade mínima constitucionalmente prevista para o trabalho infantil, não formaliza a contratação, não garante direitos mínimos, tampouco remunera adequadamente essas crianças”.
Para o órgão, em contradição, o Santos exige dos jovens “rotina rígida de treinamentos, severa preparação física, disciplina profissional, participação em competições desportivas organizadas pela Federação Paulista de Futebol e as expõe a acidentes de trabalho”

PITACOS DO BERTOLDI

Será que algum representante do Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MP-SP), responderia a esse Jornalista, se o mesmo rigor em relação a Lei, que agora é lembrada para cair pesada contra um Clube que há anos, ajuda não apenas formando jogadores de Futebol para o Brasil e o Mundo, mas contribuindo para forjar homens de bem

Se esse mesmo rigor, é empregado nas Biqueiras de morros e favelas, nas esquinas e faróis onde se encontram facilmente crianças vendendo balas, pedindo esmolas e etc..?

Com tantos garotos que o Santos ajuda a formar, muitas vezes ajudando até mesmo a família dos garotos, dando estudo, assistência medica, e etc, pela simples contrapartida de fazerem o que mais gostam: “Jogar Bola”, isso é crime mesmo?
Ou crime de verdade, é o cinismo e a cara de pau, desse mesmo MP, que jamais os vi pelas ruas de São Paulo, verificando o número de crianças abandonadas sem comida nem agasalhos em noite de inverno?
Ou protegendo crianças, de caírem nas mãos de traficantes que exploram a miséria das famílias, e as recrutam para o crime trabalhando como aviõezinhos e olheiros!
Nesses casos, aonde estão os preocupados e zelosos representantes do MP, que agora perseguem e chamam de “Exploradores Infantis”, um clube que faz bem mais do que eles deveriam fazer e não fazem?

O que seria melhor de verdade para as crianças?
Estarem dentro de um clube como o Santos, realizando atividades físicas, que muito provavelmente lhes renderão uma boa formação e alegrias com sonhos realizados?

Ou não serem “Exploradas” como o MP acha que um clube de futebol faz, e terminarem assim:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.