Mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo.

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Mentiroso

Significado de Mentiroso

Substantivo masculino: Enganador; aquele que vive contando mentiras; quem busca enganar outra pessoa se valendo de falsidade.
Adjetivo: Falso; que tem como base ou fundamento uma mentira; desprovido de verdade: argumento mentiroso.Ilusório; que não tem correspondência com a verdade; que tende a induzir ao erro: discurso mentiroso.
Definição de Mentiroso: Classe gramatical: adjetivo e substantivo masculino

Quem conhece o dia a dia dos conturbados bastidores do Santos Futebol Clube, sabe muito bem que não é de hoje que a palavra do Presidente do clube, tem tanto valor como uma nota de “Três Reais”
José Carlos Peres, há muito tem a fama de ser alguém que: “NÃO SUSTENTA EM PÉ O QUE FALA SENTADO

No início de 2019 o Santos contratou o jogador Christian Cueva, cuja negociação fora intermediada por um cidadão chamado Renato Duprat.
Sumido desde o naufrágio da parceria entre MSI e Corinthians, da qual foi intermediário, eis que o antigo presidente da falida “UNICOR”, empresa de planos de saúde que chegou a ter na década de 90, 270 mil clientes e que até hoje se vê as voltas com inúmeros processos na justiça trabalhista, reaparece no Santos Futebol Clube, com poderes digamos “Estranhos”
À boca pequena, dizia-se que o ex parceiro do clube na época da gestão Samir Jorge Abdul-Hak, que presidiu o Santos Futebol Clube entre 1994 e 1999, havia voltado ao clube trazido pelo presidente Peres, e estava dando as cartas no futebol do clube, algo obviamente negado pelo presidente!

A verdade é que a ligação quase umbilical e sempre negada pelo alto mandatário Santista, vem se estreitando, e não é de hoje que Duprat se tornou eminência parda de sua administração!
Vale lembrar que foi o mesmo Duprat quem ganhou milhões, as custas de trazer ao Santos, a pior negociação da história do clube!


Em parceria com um Agente Israelense de nome “Pini Zahavi”, Duprat foi o responsável por trazer ao Brasil a empresa Doyen – Grupo de investimentos com sede em Malta, conhecido “Paraíso Fiscal”,  e junto ao CEO da empresa, intermediou a aquisição do jogador Leandro Damião, cujo prejuízo aos cofres do Santos, resultou na soma de R$ 83 milhões, divida com a Doyen, cuja última parcela não foi honrada pela administração Peres, o que ocasionou mais prejuízo ainda!

Recentemente, outro forte indício que comprova a estreita ligação Peres/Duprat, foi a invasão de ex funcionários do clube curitibano “Atlético Paranaense”, e a ida de jogadores do Santos para o clube paranaense, algo que teria Duprat como mentor, turminha que ficou conhecida pelo apelido de: “República de Curitiba”

Voltando a nefasta e escusa negociação envolvendo a contratação do meia peruano Christian Cueva, o que não faltam são fotos e documentos que comprovam com toda clareza, a participação do empresário Renato Duprat, sempre negada veementemente pelo presidente “Pinóquio”, que agora desmascarado, não terá para onde correr!

José Carlos Peres, à direita, e Renato Duprat, ao fundo (Reprodução)

Aliás, sejamos sinceros mas não foi de hoje que a mentira foi refutada e desmascarada não!
Foi na noite de uma segunda-feira, que durante uma reunião do Conselho Deliberativo do Santos Futebol Clube, o presidente José Carlos Peres, foi surpreendido pelo conselheiro Clóvis Cimino que após perguntar por mais de uma vez, se:
1- O empresário Renato Duprat tinha alguma ligação ou envolvimento profissional com a Diretoria do clube?
2- Se ele (Duprat), teria alguma participação na contratação do jogador Cueva?
3- Se o presidente, teria tido algum contato com o empresário nos últimos meses?
Após sucessivas negativas para todos os questionamentos do Conselheiro, eis que o Conselheiro, para surpresa e perplexidade de todos no plenário, apresenta como prova de que o presidente mentira em suas respostas, fotos tiradas no saguão de um hotel em São Paulo, comprovando que houve sim o fato de que o presidente Peres, o empresário Renato Duprat e o jogador Cueva se reuniram.

Reunião ocorrida em um Hotel da Capital Paulista

Sem ter como negar, a resposta “Madura” do presidente santista foi:

                                           “Você é fofoqueiro, hein?

Quando questionado sobre o motivo para ter sustentado a tese de que jamais havia se encontrado com Renato Duprat em uma negociação, fundamentalmente a que envolveu Cueva, e agora admitir que o empresário teve participação, José Carlos Peres desabafou.
“O Renato Duprat não me representa e não me representou. Eu não tenho nenhum empresário de estimação. E, como eu não tenho, eles (opositores) querem me ligar a este Renato Duprat. Não tenho nada e nem quero ter.”

Estranho negar um vínculo, com uma pessoa que segundo o próprio presidente, não o representa nem nunca o representou, pessoa esta que o presidente ainda salienta que “Não tenho nada e nem quero ter”, mas que curiosamente, quando da ocasião de seus dois primeiros processos de impeachment aprovados pelo Conselho Deliberativo, coincidentemente o advogado que o defendeu, “Edgard Galvão Machado”, foi indicação do próprio Renato Duprat.

Enfim: Verdades e Mentiras, estão todas ou “Quase todas” aí expostas na mesa!
Na mesa e também em troca de “Mensagens” via WhatsApp

Aliado a tudo isso, o clube ainda passa as vésperas da volta do calendário de competições, uma conturbada situação envolvendo a relação entre jogadores e Diretoria no que tange a pagamento de salários, direitos de imagem e depósitos atrasados de fundo de garantia.

Em meio ao caos José Carlos Peres não larga o barco e continuará até o fim com seu propósito claro de não deixar pedra sobre pedra!

Pobre Santos!
Mas como diz meu amigo Rodrigo Galvão Zang: “Não foi por falta de aviso”

(Crédito: Imagem: Ivan Storti/Divulgação/Santos FC)

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *