Dirigentes inteligentes sabem que um clube não vive da renda de jogos

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

De acordo com o presidente do Santos Futebol Clube, senhor José Carlos Peres, o clássico entre Santos e Palmeiras disputado nesta última quarta-feira, às 21h30 na Vila Belmiro, em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi mais uma partida que realizada na Vila, trouxe prejuízo nas bilheterias.

Segundo projeção do próprio presidente do Santos, o clássico se disputado em São Paulo na Capital, poderia ter recebido um público de até 40 mil, diferença significativa perante os 11.400 torcedores que compareceram a vila.

Jogar o clássico contra o Palmeiras na Vila Belmiro, foi segundo o presidente, uma decisão tomada em respeito ao pedido do técnico Jorge Sampaoli, mas continuamos negociando por jogos no Pacaembu – afirmou Peres, à Rádio Bandeirantes.

A justificativa do presidente Peres para insistir tanto em tirar os jogos da Vila para leva-los para a Capital, baseia-se no fato de que o Clube tem muitas dificuldades financeiras! Temos que pagar as contas. Jogador gosta de estar na Vila Belmiro e estar em casa em 10 minutos. Mas entre o conforto deles e a instituição, ficamos com a instituição – completou.

O presidente José Carlos Peres voltou a ressaltar sua vontade de manter os jogos 50% em São Paulo e 50% na Baixada Santista. Com a sequência de partidas na Vila Belmiro a pedido do técnico Jorge Sampaoli e elenco, o dirigente citou que perdeu alguns milhões de reais!

Vou falar pela milésima vez e não vou me cansar até as pessoas entenderem.

O que faz de um clube ser grande e competitivo, não é jogar em uma Arena como a do Palmeiras, assim como jogar na Vila Belmiro, não faz de nenhum clube, ser pequeno!

O que faz a história de um clube são seus títulos e conquistas!

Com títulos vem junto:

  1. Premiações em dinheiro!
  2. Títulos atraem jovens e novos torcedores!
  3. Títulos atraem novos Associados!
  4. Títulos trazem para o clube uma maior exposição na Mídia!
  5. Títulos atraem Parceiros e Patrocinadores, querendo investir e associar sua “Marca”, a “Marca de um clube vencedor”
  6. Títulos permitem ao Clube, negociar melhores e maiores valores em contratos de publicidade!
  7. Títulos dão ao clube, poder para exigir seu reconhecimento como Campeão, na hora de negociar melhores cotas de televisão!
  8. Títulos dão visibilidade ao Campeão, para receber convites para jogar amistosos e torneios internacionais

Portanto meus amigos, se podemos usar a força da nossa casa que é a Vila Belmiro, estádio pequeno, acanhado, com limitações de lugares, e todos os problemas que conhecemos, mas que quando lotado se transforma em um verdadeiro “Caldeirão do Diabo”, um verdadeiro inferno para qualquer adversário, por que abrir mão desse importante aliado?

Jogar na Vila não é prejuízo é necessidade!

Se o Santos deixar de jogar na Vila, abrirá mão de uma força muito grande, um aliado fundamental na luta por um título!

Os amigos sabem que faz 10 anos que o Alvinegro Praiano não sabe o que é perder para o Palmeiras na Vila, em Campeonatos Brasileiros?

Alguém precisa fazer esse senhor “José Carlos Peres, que brinca de Dirigente, entender que jogar na Vila não é prejuízo!

 Prejuízo é vender o jogador Bruno Henrique por R$ 23 milhões e pagar por 50% do Uribe, R$6 milhões. Prejuízo é contratar um jogador por empréstimo (Cueva), e aceitar uma cláusula absurda que obriga o clube a ficar com o jogador por R$ 26 milhões. Prejuízo é perder de graça, jogadores formados na base do clube, e pagar R$15 milhões em um Zagueiro, posição que ao lado de um Goleiro, qualquer clube com o mínimo de estrutura tem obrigação de produzir em casa! Prejuízo é ficar de fora de todas as finais de campeonato e perder gordas premiações! Isso sim!

Prejuízo é pagar salários de 600 mil para Bryan Ruiz, Cuevas, Uribe, e outros que não valem nem metade.

É preciso que o Presidente Peres, entenda que jogar no Pacaembu ou em estádios maiores, pode momentaneamente ser financeiramente mais rentável, mas é preciso entender que ao abrir mão da força da Vila Belmiro, perdemos esse trunfo que na hora de conquistar um título, pode ser de grande ajuda!

Agora é só colocarem na balança o que é melhor:

Ganhar dinheiro com rendas maiores, abrindo mão da nossa casa, ou momentaneamente ter rendas menores, mas ter chances maiores de conquistar títulos e tudo que vem de bônus com eles?

Para finalizar, jamais esquecerei de uma entrevista dada pelo ex Presidente do Internacional de Porto Alegre, Fernando Carvalho, que há anos atrás, disse que nenhum grande clube do Futebol Brasileiro, consegue sobreviver financeiramente, sem vender todo ano, no mínimo dois grandes jogadores! Recentemente tivemos essa prova, negociando precocemente, nossa joia da base, o menino Rodrygo Góes, que salvou as despesas urgentes do clube!        

One thought on “Dirigentes inteligentes sabem que um clube não vive da renda de jogos

  • 11 de outubro de 2019 em 12:35
    Permalink

    É sabido que a Vila Belmiro é palco Estratégico para a gestão técnica e resultado favorável e positivo do futebol profissional. Os clubes brasileiros possuem as mesmas fontes de receitas, variáveis em diferenças pequenas (de fontes, não de valores) entre os considerados de grande porte. Os clubes europeus diversificam e potencializam suas receitas por meio do Planejamento e ações previstas, com resultados incríveis. Em nosso caso, devemos aproveitar o fator “Alçapão da Vila” para aquisição de pontos nas competições com a consequente ampliação de receitas com os resultados em campo obtidos, seja nas negociações, seja no marketing, seja na ampliação de sócios, seja na venda de produtos licenciados, seja na quotas televisivas entre outras… para tanto, é necessário colocar em prática as regras e princípios da boa gestão,
    Como transparência, compliance, profissionalismo…. que falta na administração do nosso querido Santos Futebol Clube!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *