Mesmo afastado do dia a dia do Santos José Carlos Peres tumultua o ambiente na Vila

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

O torcedor Santista, acostumado a ver o seu camisa 11, (Marinho), sempre alegre, bem-humorado, com suas sacadas folclóricas, seu jeitão engraçado e irreverente, deve ter estranhado o nervosismo exagerado, a queda repentina de rendimento, uma certa desconcentração, e uma irritabilidade que não combina nada com o Marinho que todos conhecem!
Seria algum problema relacionado a salários ou direitos de imagem atrasados?
Algum desgaste no relacionamento entre o jogador, seus colegas de elenco ou com alguém da Comissão Técnica? Não meus caros amigos e leitores do Blog.

 O Blog Sergio Bertoldi foi procurar entender o que estaria acontecendo com o jogador Marinho, e à partir de agora o que passaremos a vocês torcedores e leitores, talvez elucide o destempero demonstrado pelo jogador, que expulso após a derrota contra o Ceará em fortaleza, derrota que custou a eliminação precoce do Santos na Copa do Brasil, teve que ser contido por colegas quando ainda em campo, dirigiu-se de forma acintosa tirando satisfações com o trio de arbitragem!

Marinho que durante a partida, teve um rendimento muito abaixo do esperado para um jogador que tem sido decisivo para o Santos ao longo da temporada 2020, sendo inclusive o principal artilheiro da equipe tanto no ano quanto no Campeonato Brasileiro, partiu para cima do árbitro Leandro Vuaden tendo inclusive que ser contido pelo companheiro Madson e o preparador físico Omar Feitosa!
Como já era esperado, o Arbitro carregou na tinta ao relatar o ocorrido na Súmula da partida!

Mas qual o motivo desse aparente descontrole emocional?

Afastado da presidência do Santos Futebol Clube pelo conselho deliberativo, sob acusações de “Gestão Temerária” desde 29 de Setembro de 2020, José Carlos Peres autorizou através de uma carta por ele assinada, um empresário que não é o agente oficial do jogador, a negociar o atacante com clubes de países árabes.
Tal documento que seria datado de 4 de outubro de 2020, portanto seis dias após José Carlos Peres ter sido afastado da presidência, seria o motivo da irritabilidade do camisa 11 Santista.

A parceria profissional e de amizade de muitos anos entre Marinho e seu agente Jorge Machado, deixou o jogador irritado e chateado com o ocorrido, que claro não gostou do desrespeito para com o seu agente.

O contrato entre o Santos e o jogador Marinho, vai até o final de 2022. A diretoria do Santos tomou conhecimento da existência dessa carta, somente no último dia 15, quando o agente de Marinho, Jorge Machado, mandou uma mensagem para o presidente em exercício Orlando Rollo.
Imediatamente após tomar ciência do fato, o comitê de gestão protocolou junto ao conselho deliberativo, um pedido para que o fato seja apurado, assim como a responsabilidade do presidente afastado, José Carlos Peres no caso.

A data do documento, só aumenta a já acirrada e tumultuada relação entre clube e presidente afastado!
Jorge Machado afirmou que Marinho não tem interesse em deixar o Santos, pois o jogador enxerga no clube e na fase que vive dentro das quatro linhas, a chance de realizar seu sonho de uma convocação para defender a Seleção Brasileira.
O blog Sergio Bertoldi tentou obter uma palavra do Agente Jorge Machado, mas até o fechamento dessa edição não obtivemos um retorno por parte do mesmo!

Quanto ao caso em si, podemos adiantar que mais uma vez o presidente afastado, José Carlos Peres, mostra toda a sua arrogância e prepotência e rasga o Estatuto do clube ao ignorar completamente que “Afastado” do clube e de seu cargo de presidente, jamais poderia realizar qualquer atividade em nome do clube, que foi o caso em questão!

A carta que segundo consta foi escrita em inglês, e teria sido enviada a uma pessoa que seria um empresário chamado Mamdou Sayed Ibrahim,  tem sua data que expira após 16 de Novembro de 2020, portanto dentro de nove dias, trata-se de um documento que entregue a um Agente de futebol, (Profissional que agencia a carreira de jogadores), garante ao mesmo “Exclusividade” para realizar a transferência de um ou mais atletas!
Uma vez realizado o negócio, uma transferência do jogador ou jogadores, para um determinado país, o agente portador dessa carta passa a ter o direito exclusivo de receber uma comissão pela negociação!

Só aí, já se vê a situação delicada que foi criada pelo senhor Peres, pois simplesmente atropelou, ignorou completamente o fato de que o jogador em questão, (Marinho), tem seu próprio Agente, o que configura por parte do presidente “Afastado”, um total desrespeito com o profissional!

Fica a Pergunta: Essa “Carta”, dada ao agente, seis dias depois de estar oficialmente afastado de suas funções como presidente do Santos Futebol Clube, tem alguma validade jurídica, sendo que José Carlos Peres não respondia mais como “Mandatário” do clube?  

(Foto: Reprodução / Instagram/acervo do jogador)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.