Casa vazia futebol vazio

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Santos e Santo André voltaram a campo na noite desta quarta-feira, quando às 19h15, a bola voltou a rolar na Vila Belmiro, marcando o retorno das equipes ao Campeonato Paulista 2020 após mais de quatro meses de paralisação causada pela pandemia de Covid-19.
A partida pela 11ª e penúltima rodada da fase de grupos, apresentava-se como uma ótima oportunidade para o Alvinegro de Vila Belmiro, garantir por antecipação sua classificação a fase de mata-mata da competição!

Aliado ao fato de jogar em casa, o Peixe ainda enfrentaria uma equipe completamente desmontada e desfigurada, que em nada lembrava o Santo André líder geral da competição e dono de belíssima campanha antes da paralisação do campeonato!
Dos 26 inscritos antes da Paralisação, o ramalhão perdeu 15 jogadores, dentre eles o centroavante e artilheiro do time com cinco gols, Ronaldo, além de mais três jogadores de destaque e considerados fundamentais no time, como os titulares Fernando Henrique (Goleiro), Luizão (Zagueiro), Dudu Vieira (Meio – Campista), fora quatro atletas, que às vésperas da partida testaram positivo para o Covid-19.

                              O Alvinegro Praiano subiu ao gramado da Vila escalado dessa maneira: 

Mesmo com tantos desfalques e modificações na equipe, o Santo André só precisou jogar para o gasto, (algo que nem isso o Santos fez), para sair na frente no placar, fazendo com o zagueiro Rodrigo aos 18 minutos da primeira etapa o primeiro gol da partida.

Jogando um futebol lento, previsível e sem a mínima inspiração, o Santos mesmo atuando em casa, levou cinco minutos para dar seu primeiro chute contra a meta do goleiro do Santo André!
Exceção feita ao baixinho Soteldo que honrou a camisa 10 que veste, inclusive foi o autor do gol de empate do Santos em jogada individual, o restante dos jogadores que estiveram em campo na noite desta última quarta-feira, jogaram nitidamente com o freio de mão puxado!

Todos irão negar e isso é óbvio, mas os problemas financeiros do clube, aliados a atitude arbitrária e unilateral do presidente Santista, que a revelia de todo o elenco, promoveu um corte de 70% nos vencimentos dos jogadores, isso já dura três meses, algo que já resultou na saída de três jogadores, todos entrando na justiça contra o clube, teve sim reflexos diretos na “Vontade” apresentada dentro de campo!

Aliado aos problemas extracampo, a verdade é que o nosso treinador é muito fraco!
Um senhor ultrapassado, com métodos de treinamentos tanto físicos como técnico e táticos, ultrapassados, sem visão de jogo, suas alterações já são mais do que manjadas, não tem coragem de colocar a molecada em campo e etc..

O Santos vai sofrer muito no Campeonato Brasileiro, se mantiver esse senhor treinando o time!
É um absurdo o clube na situação financeira em que se encontra, ficar pagando uma Comissão Técnica caríssima, que tem um treinador fraco e comum como tantos que temos aqui mesmo no Brasil, só que 10 vezes mais barato!
É muito, mas muito preocupante, ver o Santos não conseguir vencer um time desmontado e desfigurado como esse do Santo André!

A Partida entre Santos e Santo André foi tão fraca, e o futebol apresentado foi tão sofrível, que se não estivessem amarrados em seus assentos, até os bonecos infláveis, personalizados com o rosto dos torcedores, uma promoção feita pelo clube com torcedores que quiseram simbolicamente se fazerem presentes nas partidas do Santos, até eles se pudessem teriam ido embora mais cedo!

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 X 1 SANTO ANDRÉ

Data: 22 de julho de 2020 (quarta-feira)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Thiago Luis Scarascati
Assistentes: Herman Brumel Vani e Vitor Carmona Metestaine
Cartões amarelos: SANTOS: Alison; Carlos Sánchez. 
Cartões vermelhos: SANTOS: Carlos Sánchez
Cartões amarelos: SANTO ANDRÉ: Marlon e Baggio
GOLS:
Santos: Soteldo, aos 47 minutos do 1T;
Santo André: Rodrigo, aos 18 minutos do 1T;

SANTOS: Everson, Pará (Madson), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Arthur Gomes (Raniel) (Tailson), Soteldo e Kaio Jorge (Marinho) Técnico: Jesualdo Ferreira

SANTO ANDRÉ: Ivan, Ricardo Luz, Willian Goiano, Rodrigo e Marlon (Julinho); Nando Carandina, Vitinho, Rondinelly (Vitinho Mesquita) e Branquinho (Garré); Douglas Baggio e Ramon (Rafhael Lucas) Técnico: Paulo Roberto Santos


Alguns são favoráveis a aposentar a camisa 10, mas dentro de campo parece que a camisa do Rei é mesmo mágica! Mais uma vez a 10 do Santos parece fazer brilhar quem a veste, e a “Bola Cheia” de hoje vai para o baixinho Soteldo, o mais perigoso e lúcido jogador Santista, que destoou dos demais companheiros e entrou em campo para honrar o manto!


Tido como o jogador mais experiente do atual elenco, o meia Carlos Sánchez foi o destaque negativo do time Santista! Em uma noite pouco inspirada, o jogador que normalmente faz valer a fama da “Raça Uruguaia”, esteve apagado em campo e foi bisonha e infantilmente, expulso de campo por duas entradas em que recebeu dois cartões amarelos em lances parecidos, resultando em deixar o time com um jogador a menos desde o fim do primeiro tempo. Por esse motivo Pato Sanches vai levar a “Bola Murcha” desta partida

Líder do Grupo A, com 16 pontos, o Santos volta a campo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), para enfrentar o Novorizontino em partida que será realizada na Arena Corinthians.

(Crédito: Imagem: Ivan Storti/Santos FC)
(Crédito: Imagem: Ilustração Assessoria de Comunicação/Santos FC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.