Vitória do entendimento e do bom senso!

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Com 602 votos pelo “SIM”, contra 13 votos pelo “NÃO”, uma Assembleia Geral de Sócios foi realizada neste sábado (19), e aprovou através do voto dos Associados do Santos Futebol Clube, (Um total de 615 associados foram às urnas), uma modificação no Estatuto Social do clube, de forma a adequar às normas do Profut (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro).

Por uma esmagadora vantagem de 589 votos de diferença, o “SIM” pelas mudanças propostas e necessárias, prevaleceu!
Se até o momento o Blog vinha em suas edições anteriores, deixando claro a importância desta aprovação, e que a mesma não poderia ser de maneira alguma levada para o lado político (Disputas), agora de maneira diferente não podemos deixar de mencionar que o resultado da votação, foi sim ainda que indiretamente, uma derrota política que mostra que nem os aliados do Presidente, compraram as mentiras espalhadas em Redes Sociais e em diversos grupos de WhatsApp, de que as alterações propostas para o Estatuto, seriam prejudiciais!

A votação ocorreu na quadra de futsal da Vila Belmiro, local onde os associados encontraram 10 urnas disponibilizadas em ordem alfabética, com o mesmo número de associados em cada urna, da mesma maneira como foi elaborada nas duas últimas votações ocorridas no Santos.

A Entrada para os associados aptos à votar, foi feita pelo Portão 17, localizado na Rua Princesa Isabel, e a saída pelo portão do Ginásio, localizado na Rua José de Alencar.

Como signatário do acordo de adesão e dos benefícios trazidos pela lei mencionada, o Santos Futebol Clube teria que desde 2015, ter adequado seu estatuto às exigências contidas, o que não havia feito até o presente. momento.

Confira a votação urna por urna:
Urna 1 – 60 a favor x 0 contra
Urna 2 – 54 a favor x 0 contra
Urna 3 – 51 a favor x 1 contra
Urna 4 – 52 a favor x 1 contra
Urna 5 – 50 a favor x 2 contra
Urna 6 – 64 a favor x 2 contra
Urna 7 – 78 a favor x 2 contra
Urna 8 – 69 a favor x 2 contra
Urna 9 – 55 a favor x 2 contra
Urna 10 – 69 a favor x 1 contra

Preocupados com a possibilidade concreta de sofrer sanções severas e até o descredenciamento do programa, algo que seria trágico para a saúde financeira do clube como entidade associativa, o Santos finalmente deu um passo importantíssimo para atender os sucessivos comunicados e cobranças da Autoridade Pública do Futebol (APFUT).

Durante a última reunião do Conselho, já havia ficado decidido que dada a urgência e importância do clube, adequar seu estatuto as exigências do (Profute), outras propostas sugeridas pelos Conselheiros no que diz respeito a reforma do Próprio estatuto como um todo, ficariam para um segundo momento!

A Lei do Profut permite aos clubes, o parcelamento de dividas tributárias em até 240 meses, e em até 180 meses, de dividas com FGTS.
Garante aos clubes que aderirem ao parcelamento, redução de 70% das multas, de 40% dos juros, e de 100% dos encargos legais, mas impõe aos beneficiários uma série de obrigações adicionais, tais como a redução obrigatória do prejuízo anual a no máximo 5% da recita do ano anterior, e a limitação dos gastos com o futebol profissional a 80% da receita anual.
Outra importante novidade, é a inclusão do “Rebaixamento” forçado à divisão inferior, para os clubes que não estiverem em dia com suas obrigações tributárias, trabalhistas, e relativas à direitos de Imagem dos atletas profissionais.

Pelo bem imediato e pelo bem do futuro do Santos futebol Clube, os associados tiveram o bom senso e o entendimento correto, para definirem em votação, que não havia outra decisão acertada, que não fosse pelo “SIM”, para a aprovação absoluta das mudanças necessárias!    

O Blog “Sergio Bertoldi”, esteve durante todo o dia deste sábado 19 de Outubro, em contato permanente com colaboradores que de períodos em períodos, nos atualizavam sobre o andamento da votação que transcorreu tranquilamente!

Infelizmente, parece que os atuais responsáveis pelos destinos do clube, assim como seu Mandatário “Presidente José Carlos Peres”, seus pares de Diretoria e a maioria dos membros do Grupo Gestor, não entenderam ou não quiseram entender a importância do momento, e simplesmente não apareceram para votar, fosse pelo “SIM” ou pelo “NÃO”. Uma atitude lamentável mas que mostra aos associados do Santos, a importância que esses senhores dão de verdade ao clube!

Justiça seja feita, dos nove Gestores, dois membros compareceram para votar, que foram os Conselheiros “Estevam Juhas e Fábio Gaia”

Ainda afastado do cargo e de suas atividades normais, o vice Presidente Orlando Rollo, não compareceu, mas: (Esse justifica-se, pois encontra-se fora de Santos, no Rio de Janeiro fazendo um curso na CBF).

As principais alterações que o Santos precisou fazer para se adequar ao Profut foram: Alteração do valor máximo que pode ser usado pelo departamento de futebol de 85 para 80% do orçamento, além do afastamento e inelegibilidade por até cinco anos, do dirigente que praticar ato de gestão temerária e compensação ao clube com os bens dos dirigentes.
O artigo 25º da lei do Profut classifica um déficit acima de 20% como gestão temerária!

Confira na íntegra quais foram as alterações realizadas.

(Crédito: Imagem Caíque Stiva)


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.