“Pré Julgamento: Um erro que pode ser irreparável”

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Quando o Presidente em exercício do Santos Futebol Clube, Orlando Rollo, anunciou oficialmente o acordo que selou a volta do jogador Robson de Souza, (Robinho), que pela quarta vez retorna a casa onde nasceu para o futebol, onde conquistou suas maiores glórias, e lugar que indiscutivelmente joga seu melhor futebol, ninguém imaginaria que tal retorno para casa, causaria tanta polêmica!

Robinho em sua casa assina o contrato com o Santos!

E não havia mesmo motivos para que tanto a cúpula diretiva do clube, como o torcedor do Alvinegro Praiano, tivessem com o que se preocupar, que não fosse planejar a festa para receber novamente o “Rei das Pedaladas”

Porém: Mais preocupados em ultrapassar os limites da competência que deveria nortear suas mal escritas linhas, ou seus comentários em emissoras de rádio ou televisão, que deveria ser o de se aterem apenas ao aspecto “Esportivo” da notícia, veículos da imprensa que deveria ser “Esportiva”, passaram a dar mais ênfase a um fato envolvendo a vida particular do jogador, do que apenas a sua contratação e consequente volta ao futebol brasileiro!

O problema em si, não se resume apenas ao fato de explorem jornalisticamente, fatos que não dizem respeito ao esporte, “Editoria” em que em tese, pertencem!
Mas sim o fato de explorarem de maneira maldosa, preconceituosa, e sem o mínimo embasamento sobre a realidade dos fatos!

Para relembrar o fato que envolve o nome do jogador Brasileiro, em janeiro de 2013 o jogador Robinho que na época do fato, jogava na equipe italiana do Milan, teve sua vida abalada por uma acusação de violência sexual.
Acusado junto com outros cinco homens, Robinho foi denunciado pela suposta vítima, uma moça de origem albanesa de tê-la violentado nas dependências de uma boate da cidade de Milão. 

Sob tutela do Tribunal de Milão, presidido pela Juíza Mariolina Panasiti, acusado de estupro coletivo, Robinho foi condenado em novembro de 2017, em primeira instância, de quatro previstas pela lei italiana!
O que isso significa? Significa que até que todas as instâncias, (as quatro), sejam esgotadas, Robinho tem seu amplo direito de defesa garantido, e até que as quatro instâncias sejam esgotadas, sua condenação não pode ser interpretada como definitiva, o que significa que até se prove o contrário, Robinho é inocente!

O Blog Sérgio Bertoldi não se omitiu, nem se omitirá no tocante a abordar os fatos!
Porém a responsabilidade não apenas “Jornalística”, mas principalmente com o “Ser Humano” Robson de Souza, nos faz adotar uma conduta isenta, na qual relataremos sempre a verdade dos fatos, sem ultrapassar a barreira que é a de apenas, dar a notícia e no máximo comenta-la, sem porém fazer prejulgamentos, ou induzir nossos leitores a fazê-lo  

O prejulgamento é uma das atitudes mais perniciosas que o ser humano eventualmente possa ter, pois antecipar-se a um fato fazendo um prejulgamento pode ser danoso, e muita das vezes traz consequências e “sequelas” irreversíveis.
O tema, entretanto, traz à tona a importância de se lembrar que todo e qualquer prejulgamento, como o próprio nome diz, é prévio, ou seja, realizado anterior à constatação da apuração da verdade dos fatos.

 Desta forma, trata-se de pura especulação, não passando de meras deduções apressadas, o que poderá conter inúmeras falhas, devido ao não conhecimento real do fato vivenciado, distanciando bastante da verdade.

Conversamos com a Doutora Marisa Alija, do escritório de advocacia “Alija Ramos Assessoria Jurídica Desportiva e Empresarial”.
Com ampla experiência não apenas na área jurídica, como também no que diz respeito a Gestão de Carreira de Atletas Profissionais, a doutora Marisa trabalha há anos com o jogador Robinho, e gentilmente atendendo ao convite do blog, fala aos nossos leitores sobre a importância de não cometermos um prejulgamento e um linchamento moral para com qualquer pessoa que não tenha uma culpabilidade definitivamente provada e comprovada!

É importante salientar que emitir prejulgamentos é fácil demais, difícil é nos posicionarmos no lugar do outro.
Assim sendo, temos que conscientizar-nos de que não podemos fazer prejulgamentos sem antes apurar a veracidade dos fatos, caso contrário, poderemos cometer o risco de sermos bastante injustos e fatalmente os responsáveis por consequências irreversíveis.

Os escândalos, são normalmente explorados pela imprensa, que ávida por vender seu produto, os coloca em manchetes com letras garrafais, sempre na capa de seus editoriais!
Porém quando a verdade dos fatos contradiz as manchetes hora sensacionalistas, aí a notícia deixa de ter “Letras Garrafais”, e passa a ocupar um cantinho qualquer, bem no rodapé das últimas páginas! 

Acho muito importante, valorizar e parabenizar a postura elogiável da doutora Marisa Alija, que em momento algum colocou os interesses do seu escritório como representante legal do jogador e homem, Robson de Souza, (Robinho), à frente da verdade!
Os fatos foram colocados as claras, enfocando o legitimo direito, que o Robinho tem de provar a sua inocência!

Para finalizar, o blog Sérgio Bertoldi deseja que daqui para frente, qualquer notícia que não diga respeito a Imprensa Esportiva, seja deixada para quem de direito, e que as futuras “MANCHETES” envolvendo o jogador, tragam apenas a notícia, de que novamente a camisa 7 do Santos, voltou a ser a campeã de vendas nas lojas esportivas!

 

Manitou, não me deixes julgar um homem, sem que eu tenha andando durante duas luas com suas sandálias”. (Prece de um índio Navajo)

Fonte: Marizete Furbino

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *