Na noite das Bruxas deu “Todos os Santos”

      Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Com 42 pontos na tabela de classificação, 10 a menos que o Santos, porém há apenas três pontos do chamado G6 (5ª e 6ª vagas para a pré libertadores), o “Dia das Bruxas ou Halloween” (em inglês), parecia o ingrediente ideal para a equipe do Bahia, que veio jogar na Vila Belmiro, louquinho para aprontar uma “Travessura” nada doce!                 

Para azar dos bons Baianos, nossos irmãos Soteropolitanos esqueceram que se a noite de 31 de outubro, é das Bruxas e Travessuras, o branco da Paz do uniforme Santista, trazia consigo a força do “Dia de todos os Santos” que comemorado poucas horas depois, já irradiava suas vibrações por toda a Vila!

Pois é mas como até a paciência dos “Santos”, tem limite, as Bruxas e os Espíritos da noite de “Halloween”, bem que andaram tentando assombrar a vitória santista!  

Brincadeiras à parte, a verdade é que o futebol que o Santos apresentou na noite desta quinta-feira, mesmo jogando em casa na Vila Belmiro, foi tão horripilante e assustador quanto a ilustração trazendo a escalação do Time!

É bem verdade que o Santos iniciou a partida, mostrando claramente que o objetivo era abrir o placar e definir o resultado o mais rápido possível.

A Questão é que não se pode confundir rapidez com pressa!
O Santos dominava as ações, mantinha a bola em seus pés, criava chances de ataque, mas esbarrava mais uma vez naquele que vem sendo o “calcanhar de Aquiles”, o ponto fraco da equipe, a deficiência de seus atacantes na chamada “Última Bola” a finalização!

É bem verdade também, que o goleiro Douglas, Arqueiro do Bahia, fez alguma boas intervenções evitando que sua meta fosse vazada, tanto que o gol do Santos só foi sair na segunda etapa, quando aos oito minutos o atacante Marinho, sempre atento e ligado na partida, aproveitou uma saída de bola errada do adversário, invadiu a área e sofreu pênalti.

Carlos Sánchez, em cobrança daquelas de “Manual”, bateu na bola com maestria, deslocando o goleiro na famosa foto “Bola para um lado, Goleiro para o outro”, assinalando o gol do Peixe, seu 15º na temporada.

Após abrir o placar, o Santos continuou tendo o domínio da partida mas parece ter relaxado um pouco, e deu ao torcedor Santista a nítida impressão de ter tirado o pé do acelerador, o que de certa maneira animou o Bahia, que veio para cima do Peixe tendo até marcado seu tento de empate que foi anulado pelo VAR, que apontou um impedimento na jogada!

O panorama da partida não se alterou até o apito final, com o Santos administrando o placar mínimo, e o Bahia tentando já desarticulado e apenas na base da vontade e voluntariedade, chegar pelo menos a igualdade no placar!

Com mais essa vitória, a 16ª no Campeonato, o Santos segue na terceira colocação agora com 55 pontos, abre uma vantagem de seis pontos para o São Paulo que continua na (quarta colocação).

A bola cheia vai para o atacante Soteldo, que mais uma vez foi o responsável por ditar a velocidade do time e iniciar as jogadas mais agudas e que levaram mais perigo ao adversário.

A Bola Murcha vai para a torcida do Santos, que mais uma vez provou que se o time não estiver disputando o título da competição em que está participando, o torcedor abandona mesmo!
Enquanto esteve liderando ou em segundo lugar mas com chances de brigar pelo título, a Vila Belmiro esteve lotada em todos os jogos!
Agora que não tem mais chances de ser campeão, a torcida desaparece novamente!
Ou seja: São torcedores de “Títulos”, e não do Santos”

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 x 0 BAHIA
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 31 de outubro, quinta-feira
Horário: 19h15h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ)
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Público e renda: 5634/R$ 209.580,00
Cartões amarelos: Santos: Pará, Alison, Marinho, Jean Mota e Lucas Veríssimo; Bahia: Gregore, João Pedro e Ronaldo
GOLS: Santos: Sánchez, aos 8 minutos do 2T;
SANTOS: Everson, Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison, Evandro e Carlos Sánchez; Marinho (Tailson), Soteldo (Felipe Jonatan) e Eduardo Sasha (Jean Mota)
Técnico: Jorge Sampaoli
BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho, Moisés; Gregore (Ronaldo), Flávio e João Pedro (Marco Antonio); Élber (Rogerio), Artur e Gilberto
Técnico: Roger Machado

Veja como foi mais uma vitória do Peixe na Vila Belmiro!

Na próxima rodada, o Santos recebe no domingo também na Vila Belmiro, o Botafogo carioca.

(Crédito: Imagem: Ivan Storti/Santos FC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.