Justiça nega em primeira instância pedido de empresa que cobra R$ 250 mil do Santos por serviços de assessoria

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Uma pressão enorme vinda de todos os lados, e sem a mínima perspectiva de alguma trégua, levou o Santos Futebol Clube em comum acordo com o jogador Robinho, a adiarem o sonho do torcedor Santista em ver seu ídolo vestir pela quarta vez, o manto do Alvinegro de Vila Belmiro!

Seis dias! Foi esse o tempo, que durou a felicidade do torcedor Santista!
Robinho já começava a realizar um trabalho físico junto aos novos companheiros, visando seu aprimoramento físico e técnico, quando um caso envolvendo seu nome, e ocorrido em janeiro de 2013 quando jogava na equipe italiana do Milan, e teve seu nome envolvido em uma suposta acusação de violência sexual, voltou à tona aqui no Brasil, causando uma repercussão terrivelmente negativa e danosa, atingindo não apenas ao jogador e sua família, como também ao Santos futebol clube, que viu seu sonho de mais uma vez repatriar um de seus ídolos, ameaçado por pressões exercidas até por patrocinadores do clube, que ameaçavam sair do Santos caso o clube insistisse nessa contratação.

Robinho estava feliz voltando para o Santos, trazendo sua família, quem sabe a futura geração de “MENINOS DA VILA”! O Presidente Orlando Rollo, trazia novamente para o clube, um dos mais queridos ídolos da torcida Santista!

Pois é! O caso que ocorreu no ano passado, continua rendendo problemas ao Santos! A questão agora, envolve a contratação da empresa “Press Futebol Clube Assessoria e Consultoria LTDA”, empresa cujo proprietário é o senhor Fernando Mello, (Vice-presidente de comunicação da FPF), que alega que sua empresa foi contratada pelo Santos Futebol Clube, que na ocasião, presidido pelo ex. Presidente Orlando Rollo, teria contratado os serviços que seriam prestados, com o objetivo de gerenciar a crise ocorrida por conta da repercussão negativa da volta do Robinho ao Santos, como já falamos anteriormente sobre o caso do assédio sexual na Itália.

A empresa “Press Futebol Clube Assessoria e Consultoria LTDA”, acionou o Santos na justiça, cobrando R$ 250 mil pelos serviços prestados.
De acordo com o que a empresa alega, foram prestados serviços como: Contatos diário com funcionários do clube e representantes do jogador, para em conjunto traçarem estratégias sobre a gestão de crise, como orientação de suspensão do contrato entre Santos e Robinho, redação de inúmeras notas oficiais em nome do clube, interlocução junto aos órgãos de imprensa, media training do atleta e respectivos advogados para as entrevistas, acompanhamento do atleta nas entrevistas concedidas a programas esportivos, contatos conciliatórios com patrocinadores, ações que segundo os advogados da Press FC, teriam impedido que Santos e jogador tivessem tido prejuízos de mais de R$ 20 milhões com a perda de patrocínios.

O Jornalista Sergio Bertoldi conversou em contato telefônico, com o ex. presidente Orlando Rollo, que afirmou que embora os serviços prestados não tenham correspondido a qualidade desejada, foram sim contratados, porém de forma alguma, pelos valores alegados pela empresa!
Tentamos obter do ex-presidente, os valores que ele afirma serem os reais, mas como o processo corre em segredo de justiça, os valores não podem ser passados para a imprensa.

No momento a situação encontra-se da seguinte maneira:
O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) negou o pedido da empresa de comunicação em primeira instância, alegando que: “Não há prova segura de que houve ajuste, com plena adesão a todos os seus termos, a ponto de se justificar reconhecimento de responsabilidade pelos pretendidos “R$ 250 mil”.
A decisão foi do juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de Santos.
O que se sabe, é que a empresa já informou que recorrerá da decisão.

(Crédito: Imagem: Ivan Storti/Divulgação/Santos FC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.