Vitória e Evolução

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Três jogos, duas vitórias e um empate!
É esse o retrospecto desse novo Santos nesse início de temporada!
Resultados positivos, que vão dando nesse início de trabalho do novo treinador Santista, uma certa calma e tranquilidade para atravessar esse momento de transição, de um trabalho realizado até o ano passado, para uma nova metodologia implantada esse ano!

Partida a Partida, Jesualdo Ferreira vai moldando o Santos a sua maneira

É nítida e salta aos olhos, a diferença de atitude e de postura, do time do Santos.
Se até o ano passado, o Santos era um time que transpirava uma ofensividade quase que irresponsável, pois não havia a mínima preocupação defensiva, tanto que em alguns momentos, a equipe sofreu goleadas até mesmo para equipes de menor expressão, hoje o que se vê, é um Santos bem mais equilibrado e com uma postura tática mais defensiva!

O Santos deixou de ser ofensivo? Não!
Porém: O que pudemos observar nessas primeiras partidas sob o comando do treinador Jesualdo Ferreira, é um time com menos intensidade, e isso, o treinador que me perdoe, mas discordo dele quando questionado a esse respeito, se defende dizendo que não pode se cobrar “Intensidade”, com apenas dois, três jogos!
A intensidade com a qual o Santos jogava, tinha sua razão de ser, muito além de treinamentos, postura tática, ou estilo de jogo.
Havia uma verdadeira simbiose entre a postura de seu antigo treinador, Jorge Sampaoli, que agitado o tempo todo a beira do gramado, pilhava seus jogadores que dentro de campo, eram “Elétricos” como verdadeiros espelhos de seu treinador!

Hoje o time do Santos, também começa a ser o reflexo fiel de seu novo treinador.
Um time calmo, sereno, confiante no que precisa fazer, e um time que não se manda mais para o ataque, desordenadamente!
A Postura é outra!

Os laterais, não descem tanto ao ataque como desciam, e quando descem, não descem mais os dois ao mesmo tempo. Quando é o Pará quem apoia pela direita, o Felipe Jonatan guarda posição na esquerda, quando é o Felipe Jonatan quem apoia, aí é o Pará que fica.
Os Zagueiros também não estão mais abandonando a defesa e se mandando para o ataque como faziam. Agora ficam mais plantados lá atrás na defesa.

Aliás, isso era algo que no ano passado, eu por várias vezes critiquei, pois o Santos sofreu muitos gols em contra-ataques, justamente por seus defensores não guardarem posição, e muitas vezes serem pegos de “Calças Curtas”.
Daqui para frente, creio que dificilmente veremos a defesa do Santos, ser surpreendida em contra-ataques.
Se os amigos perceberem, no esquema do professor Jesualdo Ferreira, são os meias de ligação, com os volantes se revezando entre eles, quem tem a incumbência de encostar nos atacantes, para municia-los, e fazer jogadas de triangulações no ataque.

Gostei bastante da atuação do volante Jobson no meio campo, acho que se tiver uma sequência de jogos para se firmar, adquirir melhor entrosamento e ritmo de jogo, toma fácil a posição do Álisson, jogador raçudo mas extremamente limitado!

Volante Jobson deu uma melhor qualidade ao meio campo Santista

Outro jogador que vem até aqui, confirmando que tinha condições de suprir a altura, a saída do seu companheiro Gustavo Henrique, é o quarto Zagueiro Luan Peres.
Com relação ao Raniel, trata-se de um legítimo camisa 9, que com muito empenho e dedicação, vai tentando se adaptar a uma função que não é a dele, (Jogar pelas beiradas do campo), mas que por seu esforço próprio foi premiado com dois gols, um deles um belo gol.

Raniel desencanta e mostra que pode ser o artilheiro que faltou ao Santos em 2019

Reyner, tido como a nova joia da base Santista, fez sua estreia no time, e com apenas 16 anos, mostrou em alguns lances individuais, que tem talento, e se tivesse tempo para amadurecer e jogar efetivamente no Santos, poderia em um futuro próximo, dar muitas alegrias ao torcedor Santista!

Renyer a esperança que um novo raio tenha caído na Vila

É Pena sabermos que sua entrada no time, é apenas para coloca-lo na vitrine, pois desesperado por conseguir levantar dinheiro, a intenção do Presidente, é vendê-lo na próxima janela.
A esperança da Diretoria, é que esse menino possa ser em “Cifras $$”, um segundo “Rodrygo Góes”.   
Evandro foi outro jogador que entrou como titular, e deu uma melhor qualidade na distribuição de jogadas no meio campo, e no abastecimento aos homens de frente.  

Arrisco a dizer que nesta partida de ontem contra a Inter de limeira, já pude ver uma evolução, um maior e melhor entendimento dos jogadores, que parecem começar a assimilar a proposta e metodologia de trabalho do novo treinador!
A verdade é que há que se dar tempo ao treinador, pois não se muda assim da noite para o dia, uma mentalidade adquirida na maneira de jogar de um outro treinador!  Sampaoli comandou e treinou esse mesmo time, um ano inteiro!

Enfim, não se trata de nenhuma crítica, mas sim uma simples constatação:
O Santos está passando por uma transformação tática, de pensamento e filosofia de jogo, de um time acostumado a ser demasiadamente ofensivo, para uma equipe mais equilibrada, mas que por enquanto, aparentemente demonstra ter menos apetite pelo gol.
Posso estar enganado, mas apesar de acreditar que esse Santos de um novo estilo de jogo, possa vencer vários jogos, não vislumbro muitas vitórias com placares mais dilatados!
Veremos daqui em diante, um Santos bem mais comedido, onde vitórias por 1 x 0, ou 2 x 0, serão um placar comum.
Um time com um índice bastante alto de posse de bola, mas sem se arriscar descendo desarvoradamente ao ataque, estilo kamikaze!

Já vou adiantando que pelo que tudo indica, o futebol que o Santos passará a jogar nesta temporada, pode rendê-lo quem sabe até mesmo a conquista de algum título, porém não é o tipo de jogo que o torcedor do Santos, gosta de ver o seu time jogar!
Aquele Santos dos 4 x 0 sobre o Flamengo, na última rodada do Brasileirão 2019, esqueçam pois com o treinador Jesualdo Ferreira, dificilmente veremos de novo!

Não se trata de intensidade, de preparo físico, ou qualquer outra justificativa que se queira dar. A questão é que a filosofia de trabalho do novo treinador, se assemelha muito ao que víamos o Corinthians do Fábio Carrile, jogar!
Enfim, aos poucos os jogadores vão se ajustando, se adaptando a nova metodologia de trabalho, e assimilando cada vez mais, aquilo que o Treinador coloca de sua forma de jogar.  
O Próximo compromisso do Peixe, neste domingo dia 2 de Fevereiro, às 11 horas (de Brasília), e será o primeiro clássico que o Santos disputa no ano contra o Corinthians, na Arena em Itaquera.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 INTER DE LIMEIRA
Local: Vila Belmiro
Data: 30 de janeiro de 2020. quinta-feira
Horário: 19h15 (Brasília)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo
Assistentes: Leandro Matos Feitosa e Risser Jarussi Corrêa
Cartões Amarelos: Matheus Neris e Geovane (ambos da Inter de Limeira)
Gols: Raniel (aos 22 e 42 do 1º tempo)

O 11 Santista foi escalado dessa maneira

INTER DE LIMEIRA: Rafel Pin; Roger Bernardo, João Victor, Oliveira e Jonathan (Lucas Balardin); Marquinhos, Matheus Neris (Murilo Rangel) e Geovane; Lucas Braga, Thomaz e Airton (Tcharlles)
Treinador: Elano

Antes do início da partida, Eduardo Sasha acompanhado de sua esposa e familiares, recebeu uma placa do Santos, em homenagem as 100 partidas com a camisa do Peixe

100 Jogos com o Manto
Coletiva de imprensa com o treinador Santista após a vitória contra a inter de limeira
Evandro meio campista do Santos fala sobre sua performance na partida contra a inter

(Crédito: Imagem: Ivan Storti/Santos FC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *