Burrice tem Limite? No Santos não!

Alô Nação Santista! Saudações Alvinegras!

Se existe um esporte que mobiliza multidões, é o futebol.
Esta verdadeira paixão nacional, é capaz de fazer pessoas enfrentarem horas em grandes filas para adquirir um ingresso, e até mesmo percorrer grandes distâncias para acompanhar jogos do time do coração!
Essa paixão inexplicável, e até mesmo incompreendida para quem não entende ou não gosta de futebol, é o que incentiva os departamentos de marketing dos clubes, a promoverem uma melhor gestão de suas marcas, atraindo cada vez mais espectadores para os estádios, sócios para os seus clubes, compras de produtos oficiais e a aquisição de novos torcedores.

Se dentro de campo, fazer a equipe gerar bons resultados é função do departamento de futebol, fora dele, o marketing desenvolve ações que reflitam na questão mercadológica.
Criar produtos bonitos e de qualidade (camisas do clubes dentre outros itens de vestuário, objetos e utensílios em geral), para serem comercializados em pontos estratégicos, que possibilitem atender o desejo do torcedor em obter produtos personalizados com a marca do seu clube, deve ser a principal preocupação do Departamento de Marketing.
Expor a marca do clube no maior número de pontos possível, conseguindo uma cobertura visual estratégica em várias praças e posicionando a marca no mercado esportivo.

O futebol mexe com a paixão do torcedor, por isso que o resultado do time dentro de campo, influencia diretamente nas ações de marketing do clube.
Por isso, os clubes de futebol trabalham dentro e fora de campo, para agregar sempre mais valores à marca (clube) e levar torcedores aos estádios. É uma razão direta de causa e efeito: quando o time vai bem nos gramados existe o aumento da compra de produtos e potencializa a venda de ingressos.

Infelizmente tivemos duas gerações de “Meninos da Vila”, que encantaram o mundo todo, sendo manchetes até de jornais estrangeiros, calando a mídia nojenta da Capital que sempre nos tratou com desprezo, e não soubemos capitalizar esse momento!
O futebol apresentado pelo Santos dentro de campo, fez com que tivessem que nos reconhecer e nos reverenciar publicamente, fossem torcedores Santistas ou não!
Aquela molecada que jogava um futebol que resgatava na memória dos santistas mais antigos, as apresentações encantadoras dos tempos de Pelé e companhia, conseguiu levar o Santos a aparecer até no “Programa do Jô”

Nossos meninos com seus feitos em campo, deram ao Santos de mão beijada um material rico e farto em oportunidades que um “Departamento de Marketing” competente teria agradecido aos céus por ter caído em seu colo!
O que fizemos para aproveitar esse maravilhoso momento midiático?
Nada! Absolutamente nada!
Não tivemos a mínima competência, mesmo tendo Robinho, Diego, PH Ganso, Neymar e toda aquela molecada que conquistou um título atrás do outro, inclusive nosso “Tri da Libertadores”, para aproveitarmos esse momento e explorar essa fase ao máximo, com ações de Marketing!
Era inclusive pelo próprio apelo que aqueles novos “Meninos da Vila” proporcionavam, o momento ideal de angariar uma nova geração de torcedores e futuros torcedores!

Pensando em Marketing dentro do futebol, a primeira e talvez a mais simples das  ações, seja o orgulho que o torcedor tem de ostentar o manto sagrado!
Ter ao menos uma camisa do clube que torcemos, e desfilar com ela, é um orgulho que nos enche o peito de alegria!
Neste sentido, é um absurdo a desorganização que impera dentro do Santos!
Estamos em uma época do ano, passando por festas de natal e réveillon, época em que a cidade de Santos recebe milhares de turistas vindos de todas as partes do país, em especial cidades de todo o estado de São Paulo, e é um absurdo que com um número considerável de torcedores em potencial, a principal loja de produtos licenciados do Clube, esteja fechada!

loja do Santos futebol Clube fechada em época de maior número de turistas na cidade

Sobre a loja do Santos futebol Clube, “SANTOS STORE”, (Rede de lojas oficiais do Clube da Vila Belmiro), loja localizada na R. Princesa Isabel, 77 – Vila Belmiro, Santos – SP, a mesma encontra-se fechada desde o dia 26, por conta do término do contrato com a Meltex, contrato que terminou na última sexta-feira, 27/12/2019.

Não cansam de fazer o torcedor Santista passar vergonha e ser motivo de chacota

Para o melhor entendimento do torcedor, o Grupo Meltex é especializado em gestão e licenciamento de marcas. A Meltex Franchising, era a responsável pela gestão das franquias das Lojas Oficiais do Santos.
A Direção do Santos Futebol Clube já firmou uma nova parceria com a Loja “A Esportiva” que de acordo com contrato, irá realizar uma reforma no local que aí então, deve ter sua reinauguração próximo da estreia do time no dia 23 no Paulistão 2020
Com certeza, tanto a Diretoria do clube como a Meltex Franchising, tinham pleno conhecimento dos prazos de validade do contrato assinado!
Portanto, fosse o Santos um clube bem administrado, jamais poderia deixar sua loja fechada, um dia sequer! Ou no máximo um dia, até que a nova empresa contratada, pudesse dar entrada ao local e se organizar minimamente para dar prosseguimento ao atendimento aos torcedores!

Reabrir somente ao final de janeiro, além da falta de “Consideração” com a torcida, é financeiramente de uma burrice sem tamanho!
Vale ressaltar que a temporada de cruzeiros está aberta em Santos, e deve receber, até 14 de abril, cerca de 627 mil turistas, 3,8% a mais do que a de 2018-2019, que circularão no Terminal Marítimo de Passageiros Giusfredo Santini-Concais nos 83 dias com transatlânticos no porto.
Embora a temporada vá até Abril, Janeiro é o mês considerado como a “Alta Temporada”. O Santos vai perder um dinheirão!

Outra coisa que me causa estranheza, é a escolha por uma parceria, com uma empresa que pelo que consta, está em pleno processo de recuperação Judicial.

E mais estranheza me causa, quando fico sabendo que a Esportiva, ficou encarregada de realizar uma reforma na loja, com gasto estimado em R$ 1 Milhão e 500 mil reais.
Como pode uma empresa em “Recuperação Judicial”, ter R$ 1,5 milhão para gastar em uma reforma? De onde verdadeiramente sairá esse dinheiro?
R$ 1,5 milhão para reformar uma loja pronta, e que há uma semana estava em plena atividade sem problema algum?
O que fizeram os antigos parceiros? Destruíram a loja antes de fecha-la?  

Agora para finalizar de vez, vai o alerta para mais uma trapalhada escusa, em que estão metendo o clube: Ao contrário do antigo acordo que existia entre Santos Futebol Clube e Meltex, essa nova parceria que vai existir entre o clube e a “Esportiva”, será de administração conjunta com participação de fato, na receita bruta do negócio e não apenas nos royalties.
Pergunto: E se amanhã ou depois, alguns dos credores para quem a empresa em liquidação deve, conseguirem através da justiça, uma penhora ou uma tutela antecipada do que a esportiva lhe deve?
O Santos dança junto?
Sim porque se isso acontece, o que vai acontecer se um dos credores encostar um caminhão na porta da loja e levar tudo embora?
Como alguém pode ser tão imbecil, para fazer uma parceria com uma empresa em processo de “Recuperação Judicial”?
Por qual motivo, alguém com o mínimo de massa encefálica e bom senso, se arriscaria tanto a manchar mais ainda o nome do clube, e expô-lo a um desnecessário risco financeiro?
Penso que algumas perguntas carecem de respostas, tais como:
1- Uma empresa em recuperação judicial, em virtude de sua difícil e delicada situação, terá condições de cumprir o que deva ter sido estabelecido em contrato?
2- O Conselho Gestor se reuniu para discutir condições, cláusulas, se esse contrato será lesivo ou prejudicial ao clube, para dar seu parecer aprovando ou não, uma parceria de risco como essa?
3- Consta que tenha sido realizada alguma licitação ou tomada de opções para sabermos por qual ou quais motivos essa empresa tenha sido escolhida, e justamente na situação em que se encontra?
4- O Departamento Jurídico do clube foi consultado, e consta em algum documento, que tenha dado algum parecer ou encaminhamento favorável a este contrato?
5- Existem garantias previstas neste contrato, para salvaguardar a instituição Santos Futebol Clube?
6- O representante da empresa nomeado judicialmente, foi ouvido ou participou de alguma reunião com o clube?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.